Aérea ultra low cost estreia no Brasil, e até check-in é pago; veja como é

O Brasil recebeu sexta (25) o primeiro voo de uma companhia aérea ultra low cost. A argentina Flybondi fez seu voo inaugural ligando Buenos Aires ao Rio de Janeiro.

Promete passagens 40% mais baratas
Em uma ultra low cost, há ainda mais restrições, como uma taxa para fazer o check-in presencial no aeroporto. As diferenças para as aéreas tradicionais vão desde o momento da compra da passagem até o desembarque em Buenos Aires.

A Flybondi vende mais de 90% de suas passagens por meio do site próprio. Isso reduz custos ao eliminar o pagamento de comissões a intermediários, como agências de viagens. Assim, a empresa promete oferecer passagens entre 30% e 40% mais baratas que a concorrência.

No momento da compra do bilhete, o passageiro pode incluir diversos serviços extras, que variam da bagagem despachada até o café que será consumido a bordo. Segundo a empresa, é uma forma de o passageiro pagar apenas pelos serviços que usa.

Até check-in é pago
Cerca de 48 horas antes do voo, o passageiro recebe um email com o alerta para fazer o check-in online. Se ignorar o alerta e deixar para receber o cartão de embarque somente no balcão do aeroporto, precisa pagar uma taxa de cerca de R$ 20. Quanto mais pessoas fizerem o check-in online, menos funcionários a empresa precisa colocar no aeroporto, reduzindo os custos.

Cobrança de bagagem de acordo com o peso
A cobrança de bagagem nem chega mais a ser uma diferença entre as companhias aéreas de baixo custo e as tradicionais, que também cobram pelo despacho de malas no porão do avião. No entanto, enquanto a maioria das empresas tem um valor fixo para malas de até 23 kg, a Flybondi adotou faixas de preço de acordo com o peso da bagagem.

Para despachar uma mala de até 12 quilos, o valor é R$ 84,56 por trecho. Se a mala tiver até 20 quilos, o preço sobe para R$ 110,70. Se precisar de mais peso, o passageiro pode comprar mais cinco quilos por mais R$ 25,60.
Para uma ultra low cost, era de se esperar que o espaço para o passageiro fosse ainda mais reduzido do que nas companhias aéreas tradicionais. No entanto, a Flybondi adota uma configuração interna bastante semelhante à da brasileira Gol. As duas empresas usam o mesmo modelo de avião. Na Gol, são 186 assentos, e na Flybondi, 189 poltronas.

Ajudou para aumentar o conforto a bordo o fato de o voo inaugural estar com apenas 105 passageiros a bordo. Com um voo lotado, porém, os conflitos podem começar já no momento de guardar a bagagem de mão nos compartimentos internos. Caso todos os passageiros levassem uma bagagem de mão, não haveria espaço para todas as malas.

*Fonte: Uol

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste