Brasileiros gastam recorde de US$ 19,3 bi no exterior em 2011

Os gastos dos brasileiros com viagens ao exterior atingiram recorde em 2011. Até novembro do ano passado (os dados consolidados ainda não foram divulgados pelo Banco Central), os brasileiros gastaram a cifra recorde de US$ 19,3 bilhões com viagens internacionais – valor US$ 2,9 bilhões maior que o registrado em 2010.


As despesas nacionais no exterior são, fundamentalmente, com a compra de bens de consumo – relógios, óculos, roupas, perfumes, eletrônicos -, segundo o economista e professor de educação financeira Richard Rytenband. Ele explica que a alta carga tributária no Brasil torna os produtos muito mais caros no País do que no exterior e, por isso, os brasileiros vão às compras em viagens internacionais.

O economista também destaca que o perfil do turista brasileiro é diferente do viajante estrangeiro no Brasil. “O brasileiro compra muito, procura esses produtos ou similares que são muito caros no País. Já o estrangeiro gasta em hotéis, restaurantes, passeios turísticos“, afirmou. Segundo Richard, essa diferença também explica porque os gastos dos estrangeiros no Brasil foi três vezes menor que a despesa brasileira no exterior entre janeiro e novembro do ano passado (US$ 6,1 bilhões).

A valorização do real nos últimos anos, ainda segundo Richard Rytenband, é outro fator que deve ser considerado. “Só para se ter uma ideia, em janeiro de 2005 a nossa taxa de câmbio estava R$ 2,62. Chegou a R$ 1,55 em julho deste ano. A valorização da nossa moeda foi da ordem de 40%. É como se um produto que custava R$ 2,620 mil agora custa R$ 1,550 mil“, afirmou.

As despesas com viagens internacionais aumentaram a despeito das medidas anunciadas pelo governo no ano passado com o objetivo de reduzir o crédito e os gastos, principalmente no exterior. Uma delas foi aumentar a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para as compras no cartão de crédito feitas do exterior, de 2,38% para 6,38%.
O governo aumentou o IOF, mas não assustou. Com o aumento da mobilidade social da sociedade brasileira, os turistas daqui passaram a usar dinheiro vivo ou os cartões pré-pagos“, disse.

Segundo o especialista, os gastos dos brasileiros com viagens internacionais poderiam ser maiores, mas o agravamento da crise europeia e a recente desvalorização do real frearam esse indicador.
Agora a tendência é diminuir um pouco os gastos do brasileiro no exterior, mas com a economia se recuperando, os gastos vão aumentar muito e por muitos anos. Até o fim da década, o lugar pra investir é no Brasil. O poder de compra do brasileiro só tende a aumentar“, disse.

A disparada dos preços dos imóveis no Brasil também levou os brasileiros a comprar apartamentos de luxo em Miami, de acordo com os corretores imobiliários. Em 2011, a demanda por vistos para viajar para os Estados Unidos aumentou 40%, e Washington anunciou que vai redobrar o número de funcionários no Brasil para agilizar o processo, que hoje leva cerca de 50 dias. O consulado do Rio de Janeiro está organizando um “Super-Sábado de vistos” para conceder 1500 vistos.

A indústria do comércio e do turismo americano faz lobbie no Congresso para que os brasileiros entrem sem visto. “Este era o sonho dos brasileiros e agora são os americanos que pedem. Reconhecem no brasileiro um turista de qualidade“, afirmou o diretor do Departamento de Estudos (Depes) do Ministério do Turismo, José Francisco Salles Lopes.

Fonte Terra

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste