Com redução de ICMS, São Paulo ganha 490 novos voos semanais

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje a redução do ICMS para combustível de aviação para 12%. Até então, o Estado cobrava uma alíquota de 25% e, em contrapartida, as companhias aéreas terão 490 novas partidas semanais.

No nacional, serão voos para 21 Estados (incluindo São Paulo) e 38 destinos, com 64 novos voos. Já no regional, serão 74 partidas semanais, atendendo seis novos destinos. O impacto será de R$ 6,9 bilhões no VBP com 59 mil novos empregos e R$ 1,4 bilhão em salários.

“Nosso objetivo é aumentar a entrada de turistas não apenas na capital e continuar tendo uma visão brasileira, com a capacidade do emissivo de São Paulo. O impacto do combustível nas companhias chega a 40% em custo operacional. Com isso, queremos ampliar as oportunidades para essas transportadoras com os novos voos, com a possibilidade de tarifas especiais”, explica o governador.

“Essa medida causa um impacto positivo muito grande para todo o setor. São Paulo é o maior hub aéreo do País e nós, como governo federal, apoiamos e parabenizamos o governo do Estado por beneficiar um avanço tão grande como esse”, destacou o secretário de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, em entrevista exclusiva ao Portal PANROTAS nesta manhã.

Para o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, essa é uma das maiores conquistas da aviação comercial brasileira. “Com essa medida, São Paulo ganha ainda mais protagonismo na conectividade aérea nacional, além do desenvolvimento econômico e social que será gerado com mais voos no estado. O governo estadual dá um exemplo de iniciativa que fortalece a competitividade do setor aéreo”, afirma.

“Nós vamos voltar a ter voos no interior de São Paulo, que praticamente se esvaziaram no decorrer dos últimos anos. Além disso, vale lembrar que cada emprego gerado diretamente em aviação, gera 3 ou 4 adicionais ao sistema”, avalia o diretor executivo da Associação da América Latina e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA). Ele comemora o pleito, que está há uma década na agenda das companhias aéreas.

“Essa é uma grande vitória para o Turismo. Num País de dimensões continentais como o nosso, a conectividade pela malha aérea é fundamental”, comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. “O próximo passo é aprovar a abertura total das companhias aéreas ao capital estrangeiro no Congresso Nacional, para permitir o aumento da competitividade com mais empresas atuando no Brasil e limitar o ICMS em 12% para todos os Estados, com o projeto que tramita no Senado”, completou. Das 27 unidades da Federação, 18 já praticam alíquota de até 12%.

STOPOVER

Também está prevista uma campanha conjunta entre a Secretaria Estadual de Turismo, o São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB) e a Abear, representando as companhias aéreas associadas, para promover o programa “stopover”, que é a descida em São Paulo de um passageiro num voo vindo de Fortaleza ou alguma cidade internacional, por exemplo, com destino final previsto em Porto Alegre. Neste caso, o passageiro poderia optar por permanecer pelo menos um dia em alguma cidade paulista e aproveitar as ofertas locais de lazer, compras, cultura ou natureza antes de se deslocar ao destino final. O investimento previsto é de cerca de R$ 40 milhões, apenas em 2019.

O anúncio foi realizado hoje durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, com a presença de executivos da Gol, Latam, Avianca e Azul, além de secretários de governo.

*Colaborou Danilo Teixeira

Fonte: Panrotas

Com redução de ICMS, São Paulo ganha 490 novos voos semanais

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje a redução do ICMS para combustível de aviação para 12%. Até então, o Estado cobrava uma alíquota de 25% e, em contrapartida, as companhias aéreas terão 490 novas partidas semanais.

No nacional, serão voos para 21 Estados (incluindo São Paulo) e 38 destinos, com 64 novos voos. Já no regional, serão 74 partidas semanais, atendendo seis novos destinos. O impacto será de R$ 6,9 bilhões no VBP com 59 mil novos empregos e R$ 1,4 bilhão em salários.

“Nosso objetivo é aumentar a entrada de turistas não apenas na capital e continuar tendo uma visão brasileira, com a capacidade do emissivo de São Paulo. O impacto do combustível nas companhias chega a 40% em custo operacional. Com isso, queremos ampliar as oportunidades para essas transportadoras com os novos voos, com a possibilidade de tarifas especiais”, explica o governador.

“Essa medida causa um impacto positivo muito grande para todo o setor. São Paulo é o maior hub aéreo do País e nós, como governo federal, apoiamos e parabenizamos o governo do Estado por beneficiar um avanço tão grande como esse”, destacou o secretário de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, em entrevista exclusiva ao Portal PANROTAS nesta manhã.

Para o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, essa é uma das maiores conquistas da aviação comercial brasileira. “Com essa medida, São Paulo ganha ainda mais protagonismo na conectividade aérea nacional, além do desenvolvimento econômico e social que será gerado com mais voos no estado. O governo estadual dá um exemplo de iniciativa que fortalece a competitividade do setor aéreo”, afirma.

“Nós vamos voltar a ter voos no interior de São Paulo, que praticamente se esvaziaram no decorrer dos últimos anos. Além disso, vale lembrar que cada emprego gerado diretamente em aviação, gera 3 ou 4 adicionais ao sistema”, avalia o diretor executivo da Associação da América Latina e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA). Ele comemora o pleito, que está há uma década na agenda das companhias aéreas.

“Essa é uma grande vitória para o Turismo. Num País de dimensões continentais como o nosso, a conectividade pela malha aérea é fundamental”, comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. “O próximo passo é aprovar a abertura total das companhias aéreas ao capital estrangeiro no Congresso Nacional, para permitir o aumento da competitividade com mais empresas atuando no Brasil e limitar o ICMS em 12% para todos os Estados, com o projeto que tramita no Senado”, completou. Das 27 unidades da Federação, 18 já praticam alíquota de até 12%.

STOPOVER

Também está prevista uma campanha conjunta entre a Secretaria Estadual de Turismo, o São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB) e a Abear, representando as companhias aéreas associadas, para promover o programa “stopover”, que é a descida em São Paulo de um passageiro num voo vindo de Fortaleza ou alguma cidade internacional, por exemplo, com destino final previsto em Porto Alegre. Neste caso, o passageiro poderia optar por permanecer pelo menos um dia em alguma cidade paulista e aproveitar as ofertas locais de lazer, compras, cultura ou natureza antes de se deslocar ao destino final. O investimento previsto é de cerca de R$ 40 milhões, apenas em 2019.

O anúncio foi realizado hoje durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, com a presença de executivos da Gol, Latam, Avianca e Azul, além de secretários de governo.

*Colaborou Danilo Teixeira

Fonte: Panrotas

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste