EUA liberam voos vindos do Brasil em todos os aeroportos, mas turismo continua suspenso

Copastur bannerPowered by Rock Convert

Flexibilização é válida apenas para brasileiros que têm permissão de entrada, como cidadãos americanos, portadores de green card, de visto de residente ou de trabalho.

A partir desta segunda-feira (14), voos com procedência do Brasil podem pousar em qualquer um dos 149 aeroportos internacionais dos Estados Unidos. O governo norte-americano suspendeu parte das restrições para brasileiros entrarem no país colocadas em prática no fim de maio, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Antes, o desembarque estava restrito a 15 aeroportos, com centros médicos maiores e procedimentos mais rígidos.

Além do Brasil, o relaxamento será aplicado para aeronaves que saírem da China (com a exceção de Macau e Hong Kong), Irã, Reino UnidoIrlanda, além dos 26 Estados que compõe a Zona de Schengen, na União Europeia.

O relaxamento, contudo, não é valido para turistas. Se o passageiro embarcar do Brasil, da China ou de países com restrições e não tiver visto de residente ou de trabalho, green card ou não for cidadão americano, as restrições de entrada continuam.

O governo dos Estados Unidos reforça que os passageiros não passarão mais pela rígida inspeção de saúde, uma vez que estão sendo priorizadas campanhas educativas e coleta de dados para monitoramento.

De forma geral, a primeira etapa de flexibilização ocorre apenas na liberação para pouso em todos os aeroportos internacionais dos EUA e em cuidados sanitários — mas já representa um avanço na conexão entre os países.

As autoridades norte-americanas esperam também que a permissão para entrada de turistas no país seja o próximo passo dentro do plano para controle da Covid-19.

Não à toa, as companhias aéreas estão mais otimistas e preparam a retomada. A expectativa é que o volume de trechos entre Brasil e Estados Unidos volte ao patamar pré-pandemia já em dezembro deste ano.

Exigências para embarcar (é preciso ter uma das permissões abaixo):

  • Ser cidadão norte-americano;
  • Ter green card;
  • Ter visto de residente;
  • Ter visto de trabalho;
  • Ter visto especial (como o diplomático).

*Fonte: G1

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste