Menu

Documentação

Escolhido o destino e o período, vamos verificar o próximo passo: a documentação necessária.

Crianças também precisam de documentos, principalmente para viajar.

  • Passaporte, para viagens ao exterior ou Carteira de Identidade, para países do MERCOSUL;
  • Autorização Judicial, se a criança viajar desacompanhada. Para isso, basta comparecer a um Juizado de Menores;
  • Autorização de um dos cônjuges, caso o outro viaje com a criança para o exterior, por procuração reconhecida em cartório
  • Certidões de nascimento das crianças para destinos nacionais de vacinação do país. A carteira de vacinação internacional não é a que usamos no Posto de Saúde local. Ela deve ser transcrita e registrada na ANVISA.
  • Carteira de motorista válida e porte obrigatório do veículo, para viagens de carro;
  • Passagens aéreas;
  • Voucher do hotel e demais passeios.

Para tornar sua viagem mais confortável

Viajar com crianças pequenas pode ser muito cansativo. Quer a viagem seja de carro ou de avião, é bom levar na mala máscaras de dormir, almofadas para o pescoço e o travesseirinho ou bichinho de pelúcia de estimação de seu filho, para quando o soninho bater.

Se a criança possui alguma restrição alimentar, comunique à companhia aérea para que seja providenciada alimentação especial. Além disso, é sempre bom levar na bagagem de mão alguns itens de alimentação infantil: sucos de caixinha, potinhos prontos, biscoitos, barrinhas de cereal, etc. Se quiser levar mamadeiras, pode levar a mistura separada e pedir uma água aquecida à comissária de bordo, ou levar a mamadeira pronta, num isopor, se a viagem não for muito longa. Em voos internacionais, atenção às normas de transporte de líquidos.

  • Mantenha alguns itens de entretenimento na bagagem de mão. Boas opções são: DVD portátil com filmes variados, MP3 com repertório infantil, gibis, livros de história, revistas de passatempo, figuras para colorir, lápis de cor e giz de cera ou joguinhos eletrônicos.
  • Reserve os assentos do avião quando comprar as passagens. Manter a família próxima é imprescindível, principalmente se alguém precisa ir ao banheiro.
  • Vista a criança com roupas confortáveis e adequadas ao clima do local visitado. Mantenha uma muda de roupa na bagagem de mão, ou mesmo duas. Pode haver acidentes na hora das refeições ou no uso do banheiro.
  • Crianças muito pequenas têm direito a transportar carrinho de bebê.
  • Respeite o ritmo dos pequeninos. Uma viagem em família pode demorar muito mais que uma viagem só de adultos. Crianças andam mais devagar, precisam descansar à tarde e se recolher mais cedo para dormir. Também demoram mais para fazer as refeições.

Questões de segurança

Mantenha atualizado o cartão de vacinação da criança. Verifique se o destino escolhido exige algum tipo de vacina específica. Febre amarela, malária, H1N1 e antitetânica são sempre recomendáveis. Converse com o pediatra da família.

Se a criança faz uso de medicação especial, conserve a segunda via da receita consigo. Alguns medicamentos podem ser apreendidos se não forem legalmente transportados. Se a medicação necessita de refrigeração, providencie uma bolsa térmica ou caixa de isopor, com gelo reciclável.

Vai viajar de carro? Use sempre a cadeirinha ou o booster. Segurança em primeiro lugar. Leia as instruções de instalação e dê preferência a produtos com o selo do Inmetro. Não esqueça de fazer a revisão do veículo, calibrar pneus, trocar óleo e verificar estepe e macaco.

Providencie uma pulseira de identificação, com nome completo da criança, nome dos pais, tipo sanguíneo, telefone e endereço de contato, para caso de emergência.

Fique atenta à burocracia

Verifique a documentação exigida. Se os pais estão acompanhados, basta a certidão de nascimento, se as crianças viajam com apenas um dos responsáveis, é necessária a autorização do outro. Para viagens pelo Mercosul, as crianças podem embarcar com carteira de identidade oficial, para outros destinos internacionais, o passaporte é exigido. Verifique no Portal de Apoio a Brasileiros no Exterior, mantido pelo Ministério das Relações Exteriores, a necessidade de visto para o local de destino.

Avise à operadora de seu cartão de crédito que fará uma viagem internacional, se for o caso, evite o aborrecimento de ter seu cartão bloqueado por suspeita de uso indevido.

Observe o limite de bagagem de sua companhia aérea. Mesmo que o peso esteja dentro do permitido, muitos volumes podem dificultar a locomoção, já que além das bagagens, poderá ser necessário carregar as crianças no colo.

Crianças de até dois anos não pagam passagem ou pagam apenas 10% do valor cheio, mas em geral não possuem direito à bagagem. Leia o regulamento da companhia escolhida.

Mesmo que a viagem seja marcada com antecedência, é possível que a criança precise faltar alguns dias de aula. Isso acontece porque nem sempre nossas férias coincidem com a dos nossos filhos. Avise na escola, marque a segunda chamada de alguma prova, faça reposição do conteúdo dado, antecipe as provas se for possível.

Fazendo as contas

Consulte seu cartão de crédito. Alguns cartões oferecem seguro viagem, proteção de bagagem, diárias de estacionamento em aeroportos, acesso à sala VIP, embarque preferencial, seguro grátis no aluguel de carros, descontos em certos restaurantes, dentre outros. Talvez seja a hora de fazer um cartão fidelidade de alguma companhia aérea. Os pontos acumulados no cartão se convertem em viagens para toda a família.

Faça um planejamento financeiro. Veja o quanto está disposta a gastar em cada dia e limite-se a esse teto. Não esconda das crianças suas condições econômicas. Elas precisam entender que não dá para trazer todos os brinquedos e lembrancinhas que virem pelo caminho. Se ultrapassar o limite num dia, enxugue as contas no outro. Não há oportunidade melhor para começar a educação financeira dos pequenos.

Estudantes e crianças pagam meia entrada em cinemas, parques, museus e outras atrações. Alguns restaurantes incluem em seu menu pratos infantis, menores, mais baratos e com itens que agradam ao paladar da maioria das crianças.

Escolhendo o hotel

Pesquise sobre o hotel escolhido em sites da internet ou por meio de amigos que já o visitaram. É importante que ele tenha uma copa 24h, ou que permita o acesso à cozinha, caso você precise fazer mamadeiras de madrugada. Um flat pode ser uma excelente opção de alojamento, calcule o custo benefício e escolha o que lhe for mais cômodo.

Atenção, pais de dois filhos ou mais: alguns hotéis não trabalham com quartos quádruplos nem aceitam cama extra nos quartos triplos. Se isso acontecer, consulte sobre a possibilidade de reservar dois quartos conjugados. Hotéis têm diferentes tolerâncias quanto ao alojamento de crianças no quarto dos pais, consulte até que idade a hospedagem é feita sem custo.

Consulte sobre os opcionais infantis. Há creche, playground, monitores, restaurante infantil, berço?

Oportunidade de crescimento

Converse com as crianças antecipadamente sobre a viagem que farão, prepare-as para a mudança em sua rotina, explique para onde vão, mostre no mapa, converse a respeito dos hábitos e costumes do local visitado, explore a oportunidade ao máximo.

Vai viajar pelo país? Seja Cataratas do Iguaçu, Pantanal Mato-grossense, Falésias Cearenses, Dunas de Natal, Serras Gaúchas ou Floresta Amazônica, não importa o destino, aproveite para conversar sobre geografia: bacia hidrográfica, relevo, vegetação e clima poderão ser estudados na prática. O conteúdo assimilado na experiência ficará gravado pelo resto da vida dos pequenos.

Vai viajar para o exterior? Converse sobre a diferença do idioma, de moeda, de fuso horário, de costumes e tradições. Reforce matemática na hora de fazer a conversão do câmbio. Será uma aula concreta de matemática, ciências políticas e sociais! E sempre incutindo o respeito à diversidade cultural. Crianças que se expõem cedo a diferenças de costumes, raça, religião ou nacionalidade têm mais facilidade de respeitar o outro como ele é.

Faça a criança entrar em contato com a culinária local, as manifestações culturais e apresentações de rua. Quanto mais rica e diversificada for a experiência, mais proveitosa será a viagem. Que tal enviar cartões postais para o restante da família, contando as novidades? Vale até mandar cartinhas com desenhos da parte que ela mais gostou da viagem. Vocês podem até fazer uma brincadeira de mandar cartas para ela mesma, que serão recebidas quando a família já estiver de volta. Numa espécie de cápsula do tempo. Será interessante ler no futuro a sensação que ela estava sentindo naquele exato momento.

Consulte as opções culturais e de lazer do local visitado. Escolha programas que interessem aos pequenos. Se for um parque de diversões, verifique se a criança tem altura suficiente para entrar nos brinquedos. Talvez seja bom adiar a viagem à Disney ou ao Parque do Beto Carreiro até que as crianças possam curti-los devidamente.

E comecem a planejar juntos as próximas férias, porque depois da primeira viagem, as crianças vão pedir bis.

Veja mais em nosso Blog