Viagem Corporativa — O Melhor Momento para Revisitar seus Contratos

A viagem corporativa, assim como qualquer outro tipo de viagem, sofreu uma queda devido a pandemia de coronavírus. No entanto, após mais de um ano e com o avanço gradativo da vacinação, alguns setores do mercado iniciam movimentos de retomada. 

Determinados países já estão com a vacinação avançada, como os Estados Unidos, China, França, entre outros. Portanto, assim como a “reabertura” do mercado, eventos e viagens começam a voltar a ativa. Sendo assim, esse é o momento ideal para as empresas revisitarem seus contratos de viagens. Continue lendo para saber mais!

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente dar o play abaixo ou fazer o download para ouvir offline!

A viagem corporativa está em retomada?

Segundo dados da ABEAR (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), o número de passageiros aumentou e a demanda por voos em abril de 2021 foi 462% maior que no mesmo período de 2020 — em que estávamos nos primeiros meses de pandemia de coronavírus. 

Em agosto, foi registrada uma média diária de 1.680 voos domésticos, o que equivale a 70% do nível pré-crise. Em outubro de 2020, foram transportados 4,1 milhões de passageiros – 51,5% a menos que no mesmo período de 2019.

Além disso, indicadores da ABRACORP (Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas) mostram uma recuperação sólida do segmento de locação e alguns destinos como o Rio de Janeiro despontam fora da curva no segmento hoteleiro, com performance 23% superior no 1º trimestre de 2021 em relação à 2019.

De acordo com uma pesquisa da ALAGEV (Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas) sobre o impacto do coronavírus em viagens e eventos corporativos, 55,56% dos profissionais da área que foram entrevistados afirmaram que houve cancelamento no passado, mas que já percebem um aumento da demanda de viagens. A mesma pesquisa também indica que 81,98% tiveram mudanças na política de viagem corporativa por conta do covid-19.

No entanto, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), as viagens internacionais ainda são um desafio. Em junho de 2021 foram contabilizados 3.700 voos desse tipo no Brasil, o que significa um terço de como era antes da pandemia. 

O que é importante rever nos contratos de viagens?

Atualmente, para fechar um contrato de viagem corporativa é fundamental considerar detalhes relacionados às mudanças inesperadas e medidas implementadas por conta da pandemia de covid-19.

Tendências e comportamento do mercado

Neste momento, é muito importante estudar as tendências do mercado, principalmente o mercado internacional, afinal está havendo uma reabertura de alguns países recebendo estrangeiros. 

Além disso, há um monitoramento pontual dos movimentos dos viajantes, das oportunidades bem como da gestão de comportamento dos fornecedores (cias aéreas), com a reorganização de voos, etc.

Com isso, agora é fundamental que os contratos de viagem corporativa internacionais incorporem medidas de segurança e saúde como o certificado de vacinação completa há pelo menos 14 dias antes da chegada e teste RT-PCR até 72h antes da chegada, e mais, conforme mencionado anteriormente.

Duty of care

Duty of care, ou seja, a preocupação e responsabilidade da companhia com os colaboradores em viagens corporativas, além de cuidar de  questões cíveis e trabalhistas que  esses  deslocamentos envolvem, entender a real necessidade de cada viagem, ter mais flexibilidade por restrições ou necessidade de alterações durante as viagens.

Revisitar a política de viagem também é importante, principalmente para mapear os viajantes, saber há quantos dias a pessoa foi vacinada contra covid-19, por quais países já esteve e medidas de segurança. Segundo a ABRACORP, em mais de 50% das empresas, a política de saúde e higiene terá relevância decisiva na escolha dos serviços de viagens.

Efeito rebote

Outra ação importante é a de evitar o efeito rebote, ou seja, se planejar para não ser surpreendido com os preços de viagens muito altas quando o setor voltar “ao normal”, bem como o aumento significativo da demanda represada. Contar com uma empresa como a Copastur ajudará as empresas a terem todo um estudo e melhores alternativas para controlar as despesas, valores de melhor custo-benefício tanto em passagens, como estadia e deslocamento.

Como saber quando a empresa precisa revisitar os contratos?

Como sugestão, temos algumas dicas para identificar quando seria o melhor momento para revisitar contratos de viagem corporativa. Por exemplo:

  • a sua política está defasada, com regras atrasadas;
  • é preciso analisar se de fato a viagem se faz necessária;
  • o nível de satisfação dos viajantes;
  • não há visibilidade/dados suficientes para gerenciar;
  • os acordos com os fornecedores já não são mais tão vantajosos.

Entre em contato com a Copastur para mais informações sobre como você pode rever seus contratos de viagem! 

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste