Política de home office: como e por que implantar na sua empresa?

Copastur bannerPowered by Rock Convert

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente dar o play abaixo ou fazer o download para ouvir offline!

É um fato que o formato do mercado de trabalho está mudando. Com as atividades cada vez mais automatizadas e a possibilidade de flexibilização da rotina profissional, a realidade de hoje é bem diferente do contexto de pouco tempo atrás, e a política de home office passa a ser uma tendência de mercado cada vez mais frequente

Isso se deve, às vantagens que esse modelo proporciona, tanto no sentido de facilitar o dia a dia dos funcionários, como em relação à redução de custos que promove para as empresas. Mas não se engane! Implementar uma política de home office exige certos cuidados. Confira neste artigo!

As vantagens de uma política de home office

Reunimos neste post as principais características dessa modalidade, que o ajudarão a refletir se é realmente vantajosa para sua empresa ou apenas mais uma moda passageira do mercado. Veja:

Aumento de produtividade

Os desgastes provocados pelos deslocamentos diários de casa para o trabalho (e vice-versa) inevitavelmente geram cansaço, perda de tempo e frustração em muitos profissionais.

Nesse cenário, não são poucos os que já começam sua jornada improdutivos e estressados.

E se existisse a possibilidade de evitar essas situações, trabalhando em um ambiente mais confortável, calmo e silencioso, além de ganhar algumas horas de descanso para começar o dia bem disposto?

Isso certamente traria mais produtividade para a equipe, não concorda? Aí entra a política de home office!

Sem contar que trabalhar sem supervisão direta ou sem a presença de outros colegas também pode aumentar o senso de responsabilidade e autocrítica, além de trazer uma liberdade criativa que muitos profissionais não conseguem desenvolver dentro de um escritório, em um ambiente fechado e supervisionado.

Retenção de talentos

Empresas flexíveis, que oferecem um ambiente de trabalho inovador, produtivo e capacitador, aumentam suas chances de reter talentos.

Ao investir em trabalho remoto, a empresa cumpre a maior parte desses requisitos e dá aos colaboradores uma oportunidade única de diminuírem o estresse do dia a dia, ganhando horas preciosas para cuidarem de si mesmos e ficarem mais próximos da família.

Redução de custos

Adotar uma política de home office também é uma oportunidade comercial extremamente benéfica para as empresas, uma vez que ajuda a reduzir custos com a infraestrutura e o deslocamento.

Afinal de contas, o aluguel de qualquer espaço comercial não costuma ser barato, ainda vindo atrelado a outros gastos, como manutenção, compra de equipamentos, móveis e instalações.

Eliminar a necessidade de um espaço físico ajuda a reduzir essas despesas do dia a dia, além daqueles custos para o deslocamento dos colaboradores, como combustível e vale-transporte.

Investimento estratégico

Todo o dinheiro economizado com a manutenção da estrutura física da empresa pode ser revertido para ações mais estratégicas e pontos que podem trazer crescimento para o negócio.

Não seria vantajoso reforçar as iniciativas de marketing, promover melhorias operacionais e focar na comunicação com os clientes?

Em termos de capital humano, a empresa ainda pode investir em programas de capacitação, como treinamentos on line, pensar na possibilidade de aumentos salariais e demais benefícios que promovam a motivação dos colaboradores e consequentemente, a retenção de grandes talentos.

Qual a forma certa de implementar a política de home office?

Apesar das vantagens, para não perder eficiência ou ritmo de trabalho, é importante verificar alguns detalhes antes de, simplesmente, passar a adotar a política de home office, mesmo que temporariamente.

Analise o cenário da empresa

Depois de conhecer as vantagens do trabalho remoto, não restam dúvidas: essa estratégia pode alavancar o potencial de uma empresa. Mas é preciso ser realista.

A verdade é que nem todas estão preparadas nem são compatíveis com o modelo. As do ramo industrial, por exemplo, exigem a presença dos colaboradores na estrutura física da empresa e o manejo de equipamentos que não podem ser usados remotamente.

Pensando nisso, avalie bem a área de atuação em que seu negócio está inserido, a própria cultura corporativa, o tipo de trabalho realizado e até o perfil dos profissionais antes de implementar uma política de home office.

Fazer uma avaliação honesta é o primeiro passo para essa ou qualquer outra mudança.

Não é possível generalizar esse modelo de trabalho para a empresa toda. Cabe aos gestores identificarem os departamentos e o perfil de cada colaborador, e assim verificar aqueles que podem realizar seu trabalho de forma remota.

Crie uma estrutura eficiente de TI

A tecnologia é a maior aliada de uma política de home office de qualidade.

Assim, para que o esquema de trabalho remoto realmente funcione, os colaboradores precisam ter acesso total à estrutura de Tecnologia da Informação, que deve ser de qualidade e oferecer as mesmas ferramentas que o usuário teria, dentro da empresa..

Isso inclui softwares, além de arquivos, aplicativos e sistema de telefonia — aspectos essenciais para o desenvolvimento e o sucesso do negócio.

Conexões e soluções de VPN também precisam ser ágeis e fáceis de usar. Afinal, trabalhar com redes não confiáveis e lentas é um problema e tanto para a eficiência do trabalho.

Esteja sempre disponível

Especialmente se você exerce um cargo de liderança, não deixe de criar canais de comunicação com os colaboradores.

Estar disponível no horário de trabalho é crucial para tirar eventuais dúvidas, oferecer suporte quando necessário, manter as demandas sempre em dia e também a motivação dos seus colaboradores.

Essa dica parece óbvia, mas acredite: muitos profissionais esquecem que, mesmo em um regime de home office, estar em casa não significa trabalhar sozinho.

Na prática, eles ainda vivenciam uma rotina de trabalho normal. Por isso, precisam estar em contato constante com o resto da equipe, trocar experiências, fazer reuniões e se manterem sempre conectados.

Mantenha algum contato presencial

Uma das maiores reclamações de profissionais que trabalham na política de home office é o isolamento e a falta de interação social.

É preciso lembrar que, pelo menos até certo ponto, o dia a dia em uma empresa estimula as relações interpessoais e traz um aprendizado que só o contato humano é capaz de proporcionar.

Por essa razão, o fundamental é não eliminar completamente o contato presencial entre os colaboradores.

Uma boa dica aqui consiste em promover reuniões e momentos de brainstorming pelo menos uma vez por mês, ou até mesmo por semana. Dessa forma, você estreita relações mesmo com a adoção do trabalho remoto, não isolando a equipe e mantendo todos atualizados e na “mesma página”.

Confie no time

Muitos líderes resistem à ideia do home office por não confiarem na produtividade dos seus profissionais.

No entanto, esse é um erro que impede o progresso. Trabalhadores sem compromisso, preguiçosos e procrastinadores são improdutivos mesmo dentro da empresa. Com razão, esse perfil pode dar problema trabalhando em qualquer lugar, seja no escritório ou de forma remota.

Cabe à empresa selecionar e capacitar candidatos responsáveis e de alta performance, dando aos mais disciplinados e éticos a chance de entregar um trabalho de qualidade com a flexibilidade e o conforto de fazê-lo sem sair de casa.

Invista em expense management

Investir em expense management (gestão de despesas) é uma ótima maneira de entender e direcionar gastos de uma forma mais produtiva. Essa dica vale para qualquer empresa, mesmo que esta resolva não implementar uma política de home office.

Nesse caso, a gestão precisa focar na infraestrutura necessária para os colaboradores trabalharem adequadamente de casa.

Afinal de contas, cortar o custo do espaço físico não elimina a responsabilidade da empresa em garantir o suporte que a equipe precisa para realizar seu trabalho de forma eficaz.

Softwares e ferramentas usados no trabalho, uma internet banda larga de qualidade e rápida, ligações com propósito profissional e custos de deslocamento e estacionamentos, em caso de reuniões, por exemplo, precisam ser reembolsados pela empresa.

É preciso ter esses parâmetros bem claros e definidos para que a equipe saiba que despesas são permitidas ou não.

Dessa forma, com uma comunicação constante, respeito ao horário de trabalho e ambiente adequado para que cada um realize suas tarefas, a empresa vai obter sucesso caso opte por esse novo modelo.

Gostou das dicas? Compartilhe em suas redes e aproveite para ler mais artigos aqui, no blog da Copastur!

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste