Principais destaques do C+ Future: veja os insights dos nossos palestrantes!

Compartilhe este conteúdo:

A primeira edição do C+ Future, evento inédito da Copastur, foi um sucesso! Na terça-feira, dia 28 de junho, mais de 250 pessoas participantes, entre profissionais do mercado de turismo, gestores, compradores, secretárias e viajantes, estiveram presentes no Villa Blue Tree, em São Paulo, em um dia repleto de conteúdos de alto nível e insights valiosos. Para quem não conseguiu comparecer ou esteve por lá e quer rever os principais destaques da programação, separamos os highlights do C+ Future 2024

Na abertura do evento, a mestre de cerimônias Maryana com Y subiu ao palco, agitando o público com muita animação e descontração.  

Após esta introdução, as palestras tiveram informações importantes, novidades e tendências para os participantes do C+ Future 2024! Do lado de fora da plenária, o evento contou com ativações, experiências e estandes das marcas da Copastur e de parceiros.  

Confira os principais highlights do C+ Future 2024 

1. Leis do futuro 

Na palestra “Reflexões sobre os futuros do turismo e entretenimento”, Tiago Mattos, cofundador da Aerolito e membro do corpo docente da Singularity University (EUA), destacou a importância de entender a transformação digital de forma profunda para desenvolver operações e negócios de natureza realmente digital e personalizada, ao invés de só digitalizar produtos e serviços, como consultas online e bancos digitais, os quais ele considera bancos digitalizados. 

Além disso, Mattos abordou as 3 leis do futuro. “As lideranças que entendem esse conceito estão mais preparadas para o futuro do que 99% das pessoas”, afirmou. 

  1. Um futuro imaginado não pode ser mais desimaginar 
  1. Uma vez imaginado, o futuro automaticamente influencia o seu presente 
  1. Portanto, quanto mais futuros você imagina, mais se corrige no tempo 
image

Segundo o cofundador da Aerolito, para criar ideias, tecnologias e revolucionar os negócios, é necessário olhar para o futuro para que os gestores tenham novas experiências de cenários do futuro e conhecimentos de possíveis inovações e mudanças no status quo. 

2. Biosfera Copastur e superapp C+ 

Na sequência, Edmar Mendoza, CEO da Copastur, agradeceu a presença dos clientes e participantes. Já Alessandro Silveira, CTCXO da Copastur, apresentou a Biosfera de marcas Copastur com o mosaico de ecossistemas e marcas independentes e interconectados, destacando ainda o foco em promover melhores experiências humanas em todas as jornadas das pessoas. 

“Estamos olhando para os clientes, nos conectando, conversando, e olhando para o futuro, criando novas tecnologias centradas nas pessoas”, afirmou Silveira.  

image 3

Rodrigo Azevedo, Gerente de Produtos e Negócios TI da Copastur, também foi ao palco e trouxe o novo lançamento da Copastur: o superapp C+: “Não faz sentido ter um aplicativo para cada serviço e cada unidade de negócios. O superapp C+ conecta toda a jornada digital dos clientes, acompanhando os clientes Copastur no dia a dia, facilitando a rotina e melhorando a experiência.” 

Leia também: Como a Biosfera Copastur conecta jornadas e personaliza sua experiência 

3. Painel Tech 

Com mediação de João Fornari, Head de Tecnologia da Informação na Copastur, o primeiro painel do C+ Future 2024, “O futuro da tecnologia para o mercado de viagens (ou além das viagens) ”, envolveu um debate sobre as tecnologias e inovações e abraçando também a questão do olhar para as pessoas. 

Para Vinicius Assumpção, Head Innovation Studio de Data e IA na Compass UOL, o foco da tecnologia é criar experiências e tirar fricções do usuário, como no caso do superapp C+. “É um cenário sem volta.”  

A professora Veronica Teichrieb, da Universidade Federal de Pernambuco, também abordou o tema: “Precisamos antecipar as necessidades das pessoas e usar a tecnologia de forma personalizada para atendê-las.”  

Saiba mais: Soluções Para Viagens Corporativas: Como Trazer Conforto ao Viajante usando Tecnologia?  

image 6

Inteligência Artificial 

Ao ser perguntado sobre a Inteligência Artificial, Jhones Fraga, Partner Success Solutions Architect na AWS, destacou que a tecnologia é o meio e não o fim e enfatizou a necessidade do foco no aspecto human-to-human. “Tecnologia irá aprimorar as conexões humanas, permitindo eventos virtuais e facilitando o dia a dia dos operadores de voo.” 

Para Karina Fioraneli, Diretora Comercial no Sabre, ainda estamos longe de explorar toda a potencialidade da IA, mas a tecnologia já tem usos práticos no setor de viagens, como na precificação dinâmica de passagens. 

Dados e conexão humana 

Dentro desse debate, surge também a questão dos dados. Vinicius Assumpção afirmou que a estratégia de dados é fundamental. “Temos dados importantes e irrelevantes. Por isso, precisamos construir uma base com dados de qualidade e confiáveis. Os modelos de precificação, por exemplo, exigem uma amostragem de qualidade e relevância, integrado a diversos sistemas”, disse. 

Para Jhones Fraga, definir silos de dados pode auxiliar nas decisões de negócios. “A IA pode ajudar no acesso a bancos de dados específicos.” 

Para terminar, a conexão humana foi destaque. Karina Fioraneli falou sobre o tema: “A humanização é o X da questão. Queremos serviços rápidos e a tecnologia ajuda, mas algumas interações precisam de emoções. Estamos aqui para encantar o cliente, e temos de entender o cliente.”  

4. Cocriação  

Entre os highlights do C+ Future 2024, o bate-papo sobre cocriação abordou o poder do relacionamento para gerar valor e criar parcerias de sucesso. 

Daniel Amorim, Gerente de Novos Negócios na Goya by Copastur, Marcos Vilela, Gerente de Customer Success da Copastur, e Eduardo Palitot, Líder de Customer Success da Copastur, destacaram a importância de estar próximo ao cliente para identificar novas oportunidades e ajudar na resolução dos desafios de cada um. 

image 4

Palitot comentou como se inicia esse processo de cocriação: “A inovação sai de conversas e relacionamento com cliente. O cliente precisa ter confiança e passar suas dores para gente. Tentamos identificar a causa raiz da dor e, achando essa causa, começamos a trabalhar no projeto de solução. Novos produtos e novos processos nascem para solucionar as dores. E o cliente não gasta tempo, podendo focar no core business.” 

Para Vilela, a cocriação é colocar o cliente no centro das conversas. “Temos de conhecer as particularidades e expectativas, e entender de fato o segmento que atua. Assim, podemos ter uma visão 360 do cliente, olhar para minha biosfera de marcas e identificar qual serviço atende à expectativa do cliente, ou não e identificar uma necessidade que exige o processo de cocriação.” 

Entre as soluções que iniciaram em um processo de cocriação pela Copastur, foram citadas: Middle Air, Sourcing de Hotéis e Hub Florestal. 

5. Painel Latam com palestrantes internacionais 

O Painel sobre “Os desafios da regionalização na criação de um programa de viagens integrado que respeite as culturas locais” trouxe um tema bem interessante ao centro do debate no C+ Future 2024. Felipe Mesquita, Gerente de Expansão na Copastur Brasil, mediou a conversa com os parceiros. 

Para iniciar o debate, Jose Albor, diretor da Copastur México, comentou sobre os desafios relacionados aos diferentes modelos de pagamentos dos clientes na América Latina. “Cada país tem suas regulamentações e obrigações fiscais”, afirmou. 

José Gabriel Veiga, diretor Copastur Chile, destacou que o cartão de crédito é um dos melhores modelos e pediu para que os clientes vejam as agências como parceiros para encontrar soluções em conjunto e identificar se passaram dos orçamentos. 

Por outro lado, Juliana Giudici, da Copastur Argentina, trouxe uma visão particular da realidade argentina por conta da inflação. “Então, o modelo de pagamento é um assunto complexo, mas estamos abertos a cada novo cliente para nos adaptar e ver a melhor forma”, completou. 

image 1

Regionalização 

Para a gestão de viagens regionais, Miguel González, sócio da Copastur Colômbia, enfatizou a importância da parceria com a Copastur. “Conseguimos padronizar processos e adaptar tecnologias que começaram com a Copastur no Brasil, sendo uma empresa sólida na região. Também conseguimos fazer melhores negociações com companhias aéreas e hotéis, por exemplo”, falou.  

Juliana Giudici também elogiou a capacidade tecnológica da Copastur para apoiar na inovação nas viagens regionais. “Antes trabalhávamos com processos manuais, solicitações escritas, e-mails. Agora podemos realizar serviços num menor tempo com os sistemas da Copastur.”  

Para Miguel González, a tecnologia ajuda a trabalhar de forma mais eficiente, mas também há um acompanhamento de toda a jornada, que agrega valor humano e isso se reflete na satisfação do cliente final. 

Por fim, Jose Albor enalteceu o aprendizado mútuo. “Cada país tem seus processos, mas conseguimos adaptar com uma sinergia de trabalho e da colaboração”, concluiu.  

Veja também: Copastur global: veja importância e vantagens para nossos clientes  

6. Painel ESG 

Tema muito em alta e de grande relevância nos tempos atuais, o Painel ESG sobre “As conexões e oportunidades de um mercado em transformação no MUNDO SEM PLANO B” também foi um dos highlights do C+ Future 2024. O debate foi conduzido por Elaine Dantas, CHRO da Copastur 

image 2

Logo de início, Juan Domingues, Gerente de Relacionamento no Sistema B, falou sobre a importância das empresas que buscam ser as melhores para a sociedade como um todo, com boas práticas de sustentabilidade, diversidade e governança, e destacou o compromisso da Copastur em todas essas frentes. 

Na sequência, Ana Paula Porto, Key Account Manager Coordinator da Accor, analisou os desafios para evoluir a questão de ESG nas empresas: “É essencial a mudança de mindset dos colaboradores sobre o tema. Isso demanda muito treinamento interno e conscientização.” 

Paula Peroni, Gerente do Canal Corporativo da Delta Brasil, concordou com a opinião: “Não podemos ficar só no discurso. ESG tem de ser cultural nas empresas com iniciativas de curto, médio e longo prazo. Nosso principal foco na Delta é o combustível, com a otimização do gasto no pouso e o desenvolvimento do combustível sustentável de aviação. Mas é um trabalho conjunto com fornecedores, órgãos públicos e contínuo em todas as áreas da organização.” 

Ao olhar para a estrutura de eventos com ESG, Raphael Sacchetto, Gerente de Eventos da Copastur, também considerou a importância de ter uma abordagem 360. “Precisamos gerir uma boa cadeia de suprimentos com fornecedores homologados em boas práticas ESG, por exemplo. E os clientes precisam estar dispostos a fazer acontecer. Ter ações ESG custa mais caro, mas tem fundamento.” 

Em relação aos aspectos sociais, os painelistas ressaltam a necessidade de adoção de medidas de diversidade e inclusão nas organizações. O que envolve muito além da própria empresa, englobando a cadeia de fornecedores. Para Juan Domingues, é fundamental se colocar no lugar do outro para dar a luz à diversidade nos negócios. 

Futuro do ESG 

Visando o futuro do ESG nas empresas, Ana Paula Porto citou três passos importantes: “Temos que continuar investindo na capacitação dos colaboradores, encontrar clientes com os mesmos princípios e estabelecer parcerias diferentes e inovadoras, como por exemplo, com pessoas em vulnerabilidade para se desenvolverem e se tornarem mão de obra na hotelaria.” 

Para Raphael Sacchetto, o assunto tem que ser top down: “A liderança precisa trabalhar com seu time todos os dias as pautas de ESG, trazer itens para conversar e desenvolver boas práticas.” 

Já Juan Domingues pede uma reflexão das empresas. “Devemos pensar e questionar qual impacto do meu projeto, como impacta a sociedade e para quem estou gerando esse impacto. Não precisa ser uma empresa B, mas pensar como uma empresa B”, disse. Para completar, Paula Peroni reforçou que as organizações precisam ser protagonistas do futuro ESG. 

7. Palestrante especial 

Para fechar o C+ Future 2024 com chave de ouro, o ator, produtor, diretor, escritor e empresário Lázaro Ramos foi chamado ao palco. Com o tema “Ressignificação profissional: pessoas, e não tecnologias, definirão o futuro”, ele iniciou o bate-papo com muita interação com a plateia, puxando um coro com a música “Alguém me Avisou”. 

O ator, então, trouxe uma reflexão profunda sobre origens, marcas limitadoras pessoais que podem impedir a evolução profissional, os parâmetros de como escolher e realizar uma profissão. 

Com esses highlights do C+ Future 2024, encerramos uma jornada repleta de conexão e transformação. 

Posts Relacionados

Rolar para cima