Vacinação para viagens: quais são as mais comuns?

Compartilhe este conteúdo:

A taxa de negligência com cuidados médicos no preparo para viagens assusta especialistas. Você certamente tem um parente ou um vizinho que está sempre preocupado com a saúde, mas há anos não vai ao médico e sempre se assusta na hora de tomar vacina.

A vacinação é recomendada especialmente para pessoas que planejam viajar para países tropicais, onde costumam ocorrer epidemias de doenças como a dengue e a febre amarela. Zonas rurais, florestais e outras localidades que facilitem o contato com a natureza também quererem atenção maior com as vacinas.

Se você está se preparando para uma viagem corporativa ou a lazer, é hora de ter atenção com a sua saúde e se prevenir apropriadamente para não passar apuros em território desconhecido! Confira, a seguir, algumas das informações mais importantes sobre vacinação para viagens.

Quais são os destinos que exigem vacinação para viagens?

A vacinação deve ser feita de 6 a 8 semanas antes da partida e, pelo menos, 4 semanas antes da viagem. A necessidade de cada vacina muda de acordo com o destino do viajante. Acompanhe quais são as requeridas por alguns destinos e prepare o seu cartão.

África do Sul

  • difteria;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • poliomielite;
  • tétano.

Norte da África

  • difteria;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • poliomielite;
  • raiva;
  • tétano.

África a Sul do Saara

  • difteria;
  • febre amarela;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • poliomielite;
  • tétano;
  • raiva.

América Central (continental)

  • difteria;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • tétano.

América do Norte

  • hepatite B;
  • difteria;
  • tétano.

América do Sul (zona tropical)

  • febre amarela;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • infecção meningocócica;
  • tétano e difteria.

Ásia Oriental

  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • infecções meningocócicas;
  • poliomielite;
  • raiva;
  • tétano e difteria.

Sudeste Asiático

  • difteria;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • infecções meningocócicastétano;
  • poliomielite;
  • raiva.

Centro-Sul da Ásia

  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • infecções meningocócicas;
  • poliomielite;
  • tétano e difteria;
  • raiva.

Sudoeste Asiático

  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • infecções meningocócicas;
  • poliomielite;
  • tétano e difteria;
  • raiva.

Norte da Europa

  • encefalite transmitida por carrapatos;
  • hepatite B;
  • tétano e difteria.

Sul da Europa

  • encefalite transmitida por carrapatos;
  • febre tifoide;
  • hepatite A e B;
  • infecções meningocócicas;
  • poliomielite;
  • tétano e difteria;
  • raiva.

Qual é a dosagem requerida para as principais vacinas?

  • Hepatite A — duas doses em um intervalo de 6 meses, apenas uma vez na vida.
  • Febre amarela — uma dose a cada 10 anos.
  • Febre tifoide — uma dose a cada 3 anos.
  • Meningite meningocócica — uma dose a cada 3 anos.
  • Poliomelite — uma dose de reforço (faça uma avaliação a cada viagem).

Para comprovar que você recebeu a vacinação necessária, solicite o Certificado Internacional de Vacinação (CIV) nos postos da Anvisa em aeroportos, portos e fronteiras. Basta apresentar sua carteira de vacinação nacional. A emissão do CIV é gratuita.

A solicitação do visto não requer o comprovante de vacinação. Esse documento deve ser apresentado à imigração quando você chegar ao país de destino, o que não exime a sua responsabilidade em obter este documento com antecedência.

Como obter o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)?

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é o documento responsável por comprovar a vacinação contra doenças, de acordo com as definições do Regulamento Sanitário Internacional.

O CIVP é emitido prioritariamente para aqueles que comprovarem que irão viajar ou fazer alguma conexão em um dos países que exigem o certificado de aplicação da vacina contra a febre amarela. Dessa forma, os cidadãos brasileiros que de fato precisam do CIVP têm o atendimento preservado.

Lembramos que a emissão desse Certificado não será válida caso seja ministrada apenas a dose fracionada da vacina contra a febre amarela. Para emiti-lo pela primeira vez, basta ir a uma unidade do SUS ou procurar os serviços de vacinação privados credenciados e tomar a dose da vacina com uma antecedência de pelo menos 10 dias antes da viagem.

Em seguida, faça um pré-cadastro no site da Anvisa para fazer o seu agendamento. Nos Centros do Orientação do Viajante (COV), essa etapa é obrigatória para agendar a emissão do CIVP.

Para emitir o CIVP, é obrigatório que você compareça presencialmente no local para assinar o documento. Verifique o horário de funcionamento do COV e apresente a documentação necessária (um documento de identidade original com foto e o cartão nacional de vacinação).

Para verificar a lista de países que exigem o certificado, acesse o site da Organização Mundial de Saúde (OMS) e selecione entre as opções (inglês, árabe, chinês, francês, russo ou espanhol). Austrália, Egito, África do Sul, México e Tailândia são alguns desses países.

Quem não pode tomar a vacina contra a febre amarela deve apresentar um atestado de isenção em inglês ou francês, conforme previsto no Regulamento Sanitário Internacional (RSI).

Entidades de saúde também recomendam que a vacina da febre amarela seja ministrada para viajantes que estejam a caminho de estados no Norte (Amazonas, Amapá, Acre, Rondônia, Roraima, Tocantins e Pará), Nordeste (Maranhão), Centro-oeste (Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás) e Sudeste (Minas Gerais).

Onde obter informações sobre vacinas?

Para obter mais informações sobre a emissão do CIV ou da vacinação requerida para seu destino, você pode consultar o site da Anvisa, o consulado do país que pretende visitar ou ligar para o Disque Saúde no número 0800 61 1997. Uma agência especializada em viagens pode fornecer a assessoria necessária em todo esse processo!

Especialistas indicam que você visite o médico com pelo menos 1 mês de antecedência para que possa realizar exames, comprar os medicamentos e realizar os tratamentos necessários com tranquilidade. Lembre-se de que alguns procedimentos levam semanas para gerar a proteção requerida.

Alguns aeroportos internacionais têm seções de saúde para que os viajantes possam tomar algumas vacinas, como o de Campinas (SP), Galeão (RJ) e Guarulhos (SP). Contudo, como explicado anteriormente, uma série de vacinas devem ser tomadas com antecedência para surtir efeito, como é o caso da febre amarela (10 dias) e da hepatite A (ministrar 2 doses no intervalo de 1 mês). Portanto, não deixe para a última hora!

Nosso conteúdo ajudou com a preparação de sua viagem? Compartilhe-o nas redes sociais e marque os colegas que viajarão com você. Afinal, viagem sadia e segura é viagem em que todo mundo está prevenido!

Posts Relacionados

Rolar para cima