Formatos para salas de eventos: 7 maneiras de adaptar suas reuniões

Você já parou para pensar que a configuração do ambiente é capaz de favorecer ou prejudicar a dinâmica de uma reunião? Quem se preocupa em organizar experiências memoráveis deve ter isso em mente e buscar sempre os melhores formatos para salas de eventos.

Não há nada melhor que exercer atividades profissionais em um local agradável e adequado à programação prevista. Colaboradores nessa situação conseguem desfrutar de uma boa experiência e aproveitar o momento ao máximo para trocar ideias, discutir negócios e criar uma nova rede de contatos.

Seja em um coworking, em um hotel com sala de conferência ou em um espaço próprio para receber eventos, é fundamental prever a disposição correta das cadeiras e demais móveis. O objetivo é deixar o local pronto antes do início das atividades.

Que tal se inspirar com nossas soluções? Fique de olho nos formatos que listamos e acerte na escolha!

1. Auditório

Bastante tradicional, esse arranjo é composto apenas por cadeiras e uma área de palco. Ainda que o nome seja relacionado a uma instalação de auditório, pode ser montado em qualquer salão vazio.

É a configuração perfeita para dinâmicas que não envolvam grande interação entre o público e o ministrador de conteúdo. Bons exemplos são as palestras, já que envolvem a transmissão de informações aos ouvintes que se limitam a acompanhar os sinais, falas e gestos dos especialistas.

Por esse motivo, os assentos costumam ser organizados em fileiras e voltados ao palco onde o locutor se posiciona. É um modelo bastante versátil porque permite adaptar a quantidade de assentos ao número de participantes sem muito trabalho.

2. Escolar

Como o nome sugere, se baseia nas disposições comumente encontradas dentro das escolas e outras instituições de ensino. Esse tipo de organização inclui mesas ou cadeiras com pranchetas de apoio, todas dispostas em fileiras e conectadas por um corredor central.

É um dos formatos para salas de eventos corporativos mais simples e serve para atividades de treinamento. Com o apoio das mesas, os colaboradores podem levar computadores, agendas, cadernos e outros materiais que são empregados tanto em aulas de grupo quanto em exercícios individuais.

3. Espinha de peixe

É muito semelhante ao modelo anterior, com a diferença de que as mesas ou pranchas ficam dispostas em diagonal, formando um pequeno ângulo em relação ao corredor central da sala — daí o nome “espinha de peixe”.

escolha do local não tem muita importância, desde que tenha a quantidade adequada de móveis para acomodar todos os participantes com conforto. Mas por que essa leve alteração na posição dos assentos?

O motivo é simples: para facilitar a interação e a visualização do profissional que conduz a atividade. Uma simples mudança nas fileiras também permite que os colaboradores enxerguem seus colegas e discutam os exercícios.

4. Sala em U

O termo se refere à letra U, que surge a partir da conexão de várias mesas e cadeiras, formando um semicírculo — sua extremidade aberta fica voltada para a área em que o ministrador de conteúdo se posiciona.

Como dá para imaginar, esse arranjo possibilita a visualização de todos os participantes, sem qualquer barreira visual entre eles. Por esse motivo, é indicado para atividades que exigem maior interação, conversas e troca de ideias. Cabe destacar que o grupo não deve ser muito grande, pois, desse modo, as pessoas tendem a ficar muito distantes umas das outras.

Por não prejudicar a visão de ninguém, a sala em U é perfeita para reuniões que utilizem reprodução de vídeos e outros materiais em telão. Não é à toa que também funciona em eventos corporativos internos.

5. Mesa redonda

É um modelo recomendado para reuniões que visam discutir uma temática ou conteúdo específico. Geralmente, essas atividades contam com um moderador para garantir que todos os integrantes possam expressar suas opiniões e ideias.

As salas de mesas redondas também estimulam o trabalho em equipe e incentivam os colaboradores para que contribuam com a discussão proposta. O objetivo é criar um ambiente propício para novas ideias, construção de planos, definição de projetos etc.

Ao contrário de formatos para salas de eventos mais tradicionais, permite maior flexibilidade de movimento e proximidade entre os envolvidos. Assim, é comum que seja empregado durante encontros de negócios que envolvam discussões.

6. Palco 360 graus

Novidade no mercado de eventos corporativos, o palco 360 graus é uma solução interessante para fazer com que os participantes se sintam conectados aos locutores. Afinal, diferentemente dos auditórios e salas comuns, garante a visualização do público a partir de qualquer ponto/ângulo.

O efeito é possível porque o palco fica no centro da plateia. Algumas estruturas, inclusive, permitem a realização de giros. Assim, o palestrante consegue se direcionar a grupos específicos do público.

7. Coquetel

Esse formato tem um caráter mais informal, já que conta apenas com mesas de apoio para que os convidados coloquem suas bebidas, quitutes, utensílios e copos. É claro que a proposta deve ser realizada em um local que permita servir buffet.

O coquetel é bastante utilizado para comemorar conquistas e confraternizar bons momentos com colegas de trabalho. Por causa do ambiente descontraído, também funciona quando o objetivo é estreitar laços com parceiros, fornecedores e clientes em potencial.

Assim, muitas empresas podem promover coquetéis que envolvam a participação do público externo. É uma ótima forma de fazer networking, de apresentar a marca a quem é de fora e, ainda, de criar novas oportunidades de negócio.

Esses foram alguns dos arranjos possíveis para você investir nos próximos encontros, sejam eles mais animados ou focados em negócios. Em todo caso, vale observar as tendências para esse tipo de atividade com a finalidade de levar ótimas novidades aos participantes.

Uma das mais recentes é o uso de mobiliário confortável e diferenciado para melhorar a experiência das pessoas. Assim, peças como puffs, poltronas e até mesmo almofadas podem substituir ou complementar os jogos de mesas e cadeiras.

Tudo vale quando o objetivo é valorizar a presença dos colaboradores em reuniões e outras atividades. Agora que você conhece os principais formatos para salas de eventos, suas características e utilidades, pode escolher a opção certa para cada situação.

Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais e ajude outras pessoas que querem organizar bons eventos!

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste