Seguro para viagem corporativa: entenda como funciona

Copastur bannerPowered by Rock Convert

Quando se trata de fazer uma viagem corporativa, muitas vezes os empresários não se preocupam com o seguro. Contudo, nessas ocasiões, o seguro para viagem torna-se ainda mais importante, já que garante, além da segurança do passageiro, a relação empresa-funcionário.

Devido ao costumeiro descaso com esse tipo de seguro em viagens corporativas, ainda existem muitas dúvidas sobre como ele funciona. Leia o post, tire suas dúvidas e, na hora de realizar uma viagem corporativa, saiba como contratar o seguro!

Viagens e cartões virtuais

Viagens corporativas efetuadas através dos cartões virtuais EBTA e CPB eram automaticamente seguradas. Contudo, houve algumas mudanças e, para ter direito ao seguro, a empresa (ou o consultor de viagens) deve solicitar o seguro para cada viagem acessando o site do cartão.

Viagens nacionais e internacionais

Em viagens corporativas nacionais, muitas empresas são ainda menos preocupadas em contratar o seguro. Mas isso não diminui a responsabilidade legal da empresa em relação à segurança dos seus funcionários. Por isso, mesmo que as viagens sejam feitas somente dentro do Brasil, o seguro viagem deve ser solicitado.

Quanto às viagens corporativas para o exterior, é preciso lembrar que alguns países exigem a contratação prévia do seguro viagem. Dependendo do caso, talvez sejam exigidas outras condições além da simples contratação do seguro (por exemplo, podem-se estipular os valores das coberturas que devem ser contratadas). Quando for solicitar uma viagem internacional, peça ao consultor de viagens que explique as determinações legais de seu destino. Se a empresa não tiver uma agência parceira, deverá consultar as condições no consulado do país de destino.

Na Europa, as condições que definem o seguro viagem estão dispostas no Tratado de Schegen. Esse tratado estipula o valor mínimo de cobertura de assistência médica em casos de doença ou acidente: 30 mil euros. Os países que seguem as regras do Tratado de Schegen são: Noruega, Dinamarca, Finlândia, Bélgica, Holanda, Áustria, Alemanha, Islândia, Itália, Luxemburgo, Grécia, França, Portugal, Espanha e Suécia.

Para fazer uma viagem corporativa à Cuba, na América Central, o valor mínimo da cobertura do seguro viagem é de 10 mil dólares para atendimento médico. Para a Venezuela, o valor mínimo é de 40 mil dólares, incluindo repatriação médica e funerária. Já na Austrália, existe a exigência do seguro, mas sem um valor mínimo de cobertura estipulado. Viagens aos Estados Unidos não exigem seguros, mas isso faz com que ele seja ainda mais importante, pois o atendimento médico no país costuma ser bastante caro e também pode gerar conflitos com a política de viagens da empresa.

Tipos de cobertura para seguro viagem

As coberturas básicas para o seguro-viagem envolvem:

  • Assistência médica durante a viagem;
  • Assistência legal;
  • Assistência para outros imprevistos (tratamento odontológico, farmacêutico e fisioterapia, por exemplo);
  • Acidentes pessoais;
  • Extravio de bagagens.

Porém, existem outros tipos de coberturas, como:

  • Cobertura para práticas de esporte e lazer;
  • Extensão de internação hospitalar:
  • Traslados gratuitos de emergência;
  • Assistência jurídica ou de fiança judicial;
  • Convalescença em hotel;
  • Interrupção de viagem;
  • Transmissão de mensagens urgentes;
  • Repatriação sanitária;
  • Repatriação por morte;
  • Acompanhamento de menor ou de idoso;
  • Acompanhamento familiar;
  • Traslado de executivo;
  • Gastos por atrasos ou cancelamento de voo;
  • Seguro de vida por morte acidental;
  • Seguro por invalidez permanente.

Responsável pelo seguro e modelo anual de aquisição

37

Como se trata de viagem corporativa ou empresarial, a contratação do seguro destina-se ao executivo ou a um grupo de gestores, sendo que ele(s) pode(m) recorrer ao seu agente de viagens (pessoa física ou empresa) para organizar tudo. O executivo é quem representa a empresa a quem os colaboradores que estão fazendo a viagem prestam serviços (são funcionários).

As modalidades de seguro corporativo variam conforme o objetivo e destino da viagem, bem como o meio de transporte usado. A forma tradicional de aquisição do seguro viagem é com validade de 1 ano, período dentro do qual poderá ser usado várias vezes, respeitando-se um limite máximo de dias (banco de dias). Esse modelo anual é mais satisfatório, pois permite que viagens de última hora sejam realizadas com mais rapidez e eficiência.

Para acionar o seguro, o responsável deve ligar para o número que está impresso em seu cartão e informar à central operativa o que está acontecendo.

Cuidados com o contrato

Recomenda-se sempre que seja feita a leitura minuciosa do contrato antes de proceder à assinatura. Ainda não é um hábito enraizado entre os brasileiros a leitura detalhada dos contratos. Por isso, caso o gestor não se sinta apto para a tarefa, pode recorrer a uma empresa competente, especializada em viagens corporativas, para organizar tudo, encarregando-se inclusive da leitura do contrato, da escolha das melhores coberturas (conforme o perfil da empresa) e para analisar a estrutura oferecida tanto dentro quanto fora do país.

Custos de um seguro viagem

Os custos de um seguro de viagem corporativa depende dos dias de duração da viagem, das coberturas selecionadas e do valor da indenização. Seguros para viagens internacionais são calculados geralmente em dólares. Para executivos que fazem viagens corporativas frequentes, as empresas costumam contratar seguros cujas indenizações possuem valores mais altos.

Assim, existem seguros com valor anual de R$ 600,00 (podendo atingir U$ 443,00) e 90 dias de utilização, cujas indenizações podem variar entre U$ 100 mil a U$ 1 milhão para despesas médico-hospitalares. O limite de idade para executivos é, em geral, de 65 anos.

Crescimento do mercado de seguros

À medida que as empresa aumentam suas relações e negócios com outros países, a demanda pelo seguro de viagem corporativa também aumenta. Antes, somente empresas grandes preocupavam-se em contratar o seguro viagem, mas agora mesmo empresas de médio e pequeno porte estão se interessando com contratar seguro quando se trata de realizar viagens internacionais.

O mercado de seguros torna-se cada vez mais sofisticado, desenvolvendo novos produtos de modo a satisfazer as exigências e necessidades das empresas.

Isso quer dizer que, apesar dos pesares, as empresas felizmente estão mudando a sua forma de pensar e agir, tornando-se mais responsáveis com suas obrigações no que tange às obrigações legais perante seus funcionários em viagens corporativas – sejam realizadas a nível nacional, sejam para fora do país.

É importante que o exemplo de algumas influencie o comportamento das outras de modo que, em um breve futuro, nenhuma empresa arrisque-se a organizar viagens corporativas sem a devida contratação do seguro ideal, com as coberturas necessárias.

Já contrata seguro viagem quando realizar viagens corporativas? Tem uma empresa responsável pela organização das viagens e eventos de sua empresa? O final do ano está próximo – se pretende organizar alguma viagem para essa época, aproveite para ler o post “Passo a passo para preparar viagens corporativas de final de ano”!

Sobre o autor

Formado em Administração de empresas e MBA em marketing, possui 15 anos de experiencia no mercado de viagens e ampla vivencia internacional.

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste