Em que situações o seguro viagem é obrigatório?

Você enfim agendou aquela viagem de negócios que pode fazer toda a diferença para a estratégia de sua empresa. Contudo, um dia após chegar ao destino, o colaborador encarregado dos acordos sofre um pequeno acidente. O que fazer para garantir que ele seja atendido com prontidão e como reduzir os danos? A resposta está no seguro viagem.

Quer entender um pouco mais sobre essa solução e em quais casos ela é obrigatória? Acompanhe nosso post!

Qual é a função do seguro viagem?

O seguro viagem garante indenizações, caso ocorram riscos durante o período de viagem, incluindo período de embarque, permanência e retorno. Embora as pessoas comumente pensem nesse seguro apenas para destinos internacionais, há opções para todos os destinos.

Até 2014, o seguro viagem tinha apenas duas coberturas obrigatórias: morte e invalidez permanente. Contudo, a partir de 2014, com a Resolução CNSP n° 315, de 26/09/2014, despesas hospitalares, médicas e odontológicas passaram a integrar o escopo de coberturas obrigatórias, que devem ser oferecidas nos produtos voltados a viagens para o exterior. Para os destinos nacionais, elas são opcionais.

Os preços dos seguros viagens são relativamente acessíveis e variam de acordo com as coberturas e a duração da viagem.

Quais países exigem o seguro viagem?

Essa é uma dúvida muito comum quando se trata de viagens corporativas. Então, confira a lista e prepare-se adequadamente para garantir bons negócios!

Na América Latina

Na América Latina, que inclui os países da América do Sul e da América Central, o seguro viagem não é obrigatório. Há apenas duas exceções: Cuba e Venezuela.

Em Cuba, é preciso que o seguro viagem tenha uma cobertura mínima de 10 mil dólares, incluindo a assistência médica. Já a Venezuela exige que o seguro viagem tenha uma cobertura mínima de 40 mil dólares, bem como repatriação médica e funerária.

Estados Unidos

É de conhecimento geral que os Estados Unidos não têm um sistema de saúde público. O país não exige o porte de seguro viagem mas, devido à falta de estrutura pública para emergências, recomenda-se fortemente que os viajantes contem com uma boa cobertura por lá.

Caso aconteçam imprevistos, as despesas são bastante altas e o atendimento, moroso. Portanto, para evitar maiores prejuízos e riscos para a sua equipe, providencie um bom seguro aos colaboradores que pisarem em solo norte-americano.

Na Europa: países que tenham assinado o Tratado de Shengen

Todos os países que assinaram o Tratado de Shengen requerem o porte de um seguro viagem. O Tratado, firmado em 1985, é um acordo de abertura de fronteiras, de modo que as pessoas pertencentes aos países participantes possam circular livremente entre eles. Ele torna o seguro viagem obrigatório para turistas, exigindo uma cobertura para assistência médica em caso de doença ou acidente que tenha o valor mínimo de 30 mil euros.

Hoje, os únicos países membros da União Europeia que não integram o Tratado de Shengen são Croácia, Bulgária, Romênia e Chipre. Todos eles, contudo, estão em fase de implementação do tratado. Liechtenstein, Noruega, Islândia e Suíça não fazem parte da União Europeia, mas aderiram ao acordo.

Assim, a lista de países signatários do Tratado de Shengen e que exigem seguro viagem são:

  • Alemanha;
  • Áustria;
  • Bélgica;
  • Dinamarca;
  • Eslováquia;
  • Eslovênia;
  • Espanha;
  • Estônia;
  • Finlândia;
  • França;
  • Grécia;
  • Holanda;
  • Hungria;
  • Islândia;
  • Itália;
  • Letônia;
  • Liechtenstein;
  • Lituânia;
  • Luxemburgo;
  • Malta;
  • Noruega;
  • Polônia;
  • Portugal;
  • República Tcheca;
  • Suécia;
  • Suíça.

Na Europa: Reino Unido e Irlanda

Reino Unido e Irlanda não fazem parte do Tratado de Schengen, mas ambos exigem o seguro viagem. A diferença é que, nesses casos, ele não precisa ter o valor mínimo de 30 mil euros.

Austrália

Para estudantes estrangeiros, o seguro viagem é um item obrigatório. Para ter acesso ao sistema de saúde público do país, é preciso contratar o OSHC (Overseas Student Health Cover), que oferece cobertura básica para despesas com hospitais, médicos, gastos com ambulância e emergências.

O seguro viagem é obrigatório em viagens nacionais?

Não. Contudo, muitas pessoas dispensam o seguro viagem nacional por acreditarem que o plano de saúde presta assistência em qualquer lugar do país, o que não é uma verdade.

Os planos de saúde somente têm cobertura para a cidade dos clientes ou para o estado. Portanto, caso seus colaboradores viagem entre diferentes estados, é recomendável que sua empresa conte com um bom plano de seguro viagem nacional.

As diferenças entre o Seguro Viagem Europa e o Seguro Viagem Internacional

O Seguro Viagem Europa é muito semelhante ao Seguro Viagem Internacional. A diferença está, basicamente, na cobertura que eles oferecem. Como vimos anteriormente, os países que assinam o Tratado de Schengen exigem que a cobertura tenha um valor mínimo de 30 mil euros em assistência médica por doença ou acidente. Ou seja, para os países que não assinaram o Tratado e que, portanto, não exigem esse valor de cobertura, você pode optar por coberturas reduzidas. Contudo, essa não é uma prática recomendável.

Caso um de seus colaboradores sofra um acidente ou seja acometido por uma doença em meio a uma viagem na Europa, é possível que as despesas com tratamentos médicos ultrapassem o valor mínimo estipulado para a cobertura da seguradora, o que pode trazer grandes despesas para sua empresa. Por isso, procure adotar a cobertura mínima de 30 mil euros, para evitar riscos aos seus colaboradores e imprevistos em seu orçamento.

Seguro viagem: uma solução necessária para garantir bons negócios

Como você já deve ter percebido, o seguro viagem é de grande ajuda para garantir uma boa experiência de viagem para seus colaboradores e recursos em casos de imprevistos. Mesmo que o destino escolhido para sua viagem corporativa não exija um seguro viagem, não recomendamos que esse item seja dispensado. Afinal, gastos com saúde são bastante elevados. Vale lembrar que alguns países não têm um sistema de saúde público, de qualidade e gratuito, o que representa um grande risco para seus colaboradores.

Caso você e/ou seus colaboradores não portem o seguro viagem em países que o exigem, é possível que sejam barrados na imigração. Evite este tipo de constrangimento, especialmente nos dias de hoje, em que países como Inglaterra, França e Espanha estão enrijecendo suas políticas de imigração.

Para escolher o melhor seguro viagem, é preciso verificar as coberturas e se os valores cabem dentro do seu orçamento. É importante que a empresa escolhida tenha boas referências no mercado. Caso você precise agilizar a contratação do seguro e não saiba muito bem como contratar esse tipo de serviço para os colaboradores de sua empresa, conte com o apoio de uma Travel Management Company (TMC).

Gostou das nossas dicas sobre seguro viagem? Quer receber outros conteúdos para garantir o sucesso das suas viagens corporativas? Siga-nos no Facebook, LinkedIn e YouTube!

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste