Não existem custos soltos em uma empresa realmente eficiente. Mas não ache que esse resultado cai do céu! Na verdade, ele é fruto de muito esforço para não se perder com gastos desnecessários. Para começo de conversa, é essencial saber o que é ROI e como calcular o retorno que investimentos como viagens corporativas trazem para o negócio.

Saiba desde já que, quando bem planejada, uma viagem pode trazer diversos benefícios (diretos e indiretos) para a performance da organização, fortalecendo relacionamentos, ampliando a presença da marca em eventos e conhecendo pessoalmente clientes e parceiros estratégicos, por exemplo. E não dá para simplesmente abrir mão desses benefícios, não concorda?

Neste post, explicaremos o que é ROI, como calcular o retorno gerado por uma viagem corporativa e o que deve ser feito para maximizar os resultados obtidos por esse tipo de investimento. Curioso? Então boa leitura!

Antes de mais nada, o que é ROI?

Abreviação para a expressão em inglês Return on Investment, que pode ser traduzida como retorno sobre capital investido ou retorno sobre investimento, o ROI é um indicador amplamente usado para mensurar a efetividade de diversos tipos de investimentos em um negócio.

A lógica é simples: para valer a pena, um investimento precisa ao menos se pagar no longo prazo. Idealmente, a iniciativa deve apresentar um retorno que compense em relação às possibilidades que foram deixadas de lado ao escolher essa opção de direcionamento de recursos.

Como calcular o ROI de viagens corporativas?

A fórmula do ROI é bem direta: basta diminuir o custo da receita, dividir esse resultado pelo custo e multiplicá-lo por 100. O valor final dessa equação corresponde ao retorno sobre o capital investido, em porcentagem, o que facilita a comparação do ROI com produtos e projetos de diferentes áreas.

Se uma viagem corporativa custou, por exemplo, 5 mil reais e trouxe benefícios mensuráveis de 10 mil, o ROI será de 100%. A conta fica assim: 10.000,00 de receita – 5.000,00 de custo dividido pelos mesmos 5.000,00 = 1. Multiplicando esse resultado por 100, chegamos ao ROI de 100%!

Até aqui você entendeu que saber qual é o custo de uma viagem corporativa é simples. Mas e para identificar os benefícios gerados por esse investimento? Aí é preciso ter um olhar mais analítico e fazer uma avaliação qualitativa dos resultados relacionados a essa iniciativa.

Por mais que um deslocamento para prospectar um cliente, por exemplo, esteja diretamente relacionado com as compras que esse cliente realizar, definitivamente não é o único responsável por isso. A verdade é que a viagem faz parte de um grupo maior de investimentos de vendas e marketing relacionados à conversão daquele cliente.

Uma alternativa nesse caso seria simplesmente somar todos os investimentos que foram feitos e calcular o ROI de todos eles em relação ao resultado geral. No entanto, quando a gestão quer avaliar efetivamente o retorno trazido pela viagem corporativa, precisa ser um pouco mais específica.

Para isso, deve estimar de forma qualitativa a contribuição gerada pela viagem para o retorno final, isolando esse valor de receita para chegar ao ROI.

Quando isso for feito, vale lembrar: mesmo se o retorno sobre o capital investido não for positivo, deve-se considerar que a viagem é parte de uma estratégia maior, estando atrelada a diversos resultados indiretos.

Por que as viagens corporativas são importantes?

Na hora de calcular o ROI de uma viagem corporativa, é essencial identificar todos os fatores que estão relacionados à receita — inclusive os indiretos. É preciso, assim, descobrir quais serão os benefícios gerados por um deslocamento corporativo para essa empresa em especial.

Viagens para vendas, feiras e conferências são fundamentais para fortalecer a posição da empresa no mercado em que atua. Quando a organização marca presença nos principais eventos da sua área, trabalha sua imagem ao mesmo tempo em que se posiciona estrategicamente em relação aos concorrentes e parceiros.

Já as viagens para parceiros e fornecedores são ferramentas que fortalecem o relacionamento, aprimorando os resultados obtidos com esse tipo de colaboração. É fato: por mais que existam tecnologias que permitam reuniões e conversas remotas, encontrar pessoalmente ainda é a melhor forma de potencializar uma relação comercial.

Por fim, as viagens de colaboradores para treinamentos ou como prêmio por resultados alcançados são investimentos no capital humano da organização, ações fundamentais não só para melhorar a capacidade técnica do time, mas principalmente para trabalhar sua motivação.

Quando viaja pela empresa para aprimorar seu desenvolvimento profissional ou é recompensado por atingir metas, o funcionário sente que seu trabalho é valorizado.

Como maximizar o ROI de viagens corporativas?

Para conseguir os melhores resultados possíveis de uma viagem corporativa, é preciso trabalhar nas 2 variáveis que formam o ROI: custo e receita. Não tem mistério aqui: quanto menor for o custo e maior for a receita, melhor será a mensuração do retorno sobre o capital investido.

A principal recomendação para quem pretende maximizar o ROI de suas viagens corporativas é contar com parceiros estratégicos que dominem essa área e sejam capazes de fazer a gestão inteligente dos deslocamentos. Pronto para procurar uma empresa especializada?

Como lida com um alto fluxo de viagens de seus clientes, esse fornecedor consegue obter melhores preços de passagem e hospedagem, sendo crucial para trabalhar o lado do custo da iniciativa.

Do lado da receita, é importante, antes de mais nada, definir o principal propósito de cada viagem. Isso é fundamental para realizar o cálculo do ROI, pois definirá os resultados que serão mensurados e avaliados. Logo, se o objetivo do deslocamento é se reunir presencialmente com um parceiro estratégico, por exemplo, o retorno será relacionado aos resultados obtidos com esse encontro.

Outra dica é usar o máximo de dados possível para levantar os resultados de cada viagem. Você pode pedir, por exemplo, que os colaboradores mostrem o que foi alcançado com o investimento quando voltarem. Com base nessa apresentação, encontre dados que estejam conectados com tais resultados e os use para calcular o ROI com mais precisão.

Agora que você já sabe o que é ROI e como calculá-lo para viagens corporativas, que tal aproveitar para ler nosso e-book sobre gestão das despesas da empresa em tempos de crise?

Sua empresa também precisa de uma gestão inteligente de viagens

Entre em contato para contratar nossos serviços:

Fale Conosco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *