5 passos para elaborar um orçamento de viagens corporativas anual

Copastur bannerPowered by Rock Convert

O orçamento faz parte do cotidiano de qualquer empresa, principalmente pelo fato de que essa ferramenta permite otimizar a gestão de gastos. Em outras palavras, com um orçamento definido, é possível controlar custos e identificar oportunidades de economia.

E isso também é verdade quando falamos especificamente do orçamento de viagens corporativas. Por isso, mais do que explicar por que ele é importante ou dar dicas gerais sobre como fazê-lo, apresentamos aqui um passo a passo completo para você elaborar um orçamento de viagens personalizado para a sua empresa.

Ficou interessado? Então, continue a leitura e prepare-se para colocar a mão na massa!

1. Crie uma política interna de viagens

Antes de criar um orçamento de viagens, você precisa organizar uma política interna sólida, pois é ela que vai definir o que é permitido e o que é proibido em relação às viagens corporativas da empresa.

Um elemento que é proibido pela política não pode ser incluído no orçamento; por outro lado, um ponto obrigatório não pode ser cortado para reduzir custos.

O melhor exemplo é a questão do seguro viagem. Suponha que a política interna de viagens preveja que seja contratado um seguro, mesmo no caso de destinos nacionais. Nesse caso, não é possível tentar economizar tirando do orçamento a provisão de recursos para seguro.

Agora, imagine que a política só determina que o seguro deve ser contratado para viagens internacionais. Então, há espaço para tentar reduzir os custos, cortando do orçamento das viagens nacionais a verba que seria referente a ele.

Esse exemplo demonstra bem como a política de viagens afeta a elaboração do orçamento. Entretanto, tome cuidado para não tornar-se flexível com itens muito importantes, como a própria contratação do seguro de viagem! Muito vai depender, também, da quantidade de colaboradores que viajam e da natureza desses trajetos.

2. Delimite o escopo do programa de viagens

Depois da política interna, o segundo passo para chegar a um excelente orçamento de viagens corporativas é delimitar qual é o escopo desse programa na sua empresa. Em outras palavras, é preciso definir as principais características das viagens. Por exemplo:

  • principais destinos;
  • duração máxima e mínima, ou duração média;
  • objetivos.

Tenha em mente que essas características impactam os custos da viagem e, portanto, o orçamento. Em uma viagem para visitar um cliente, por exemplo, você provavelmente terá que levá-lo para almoçar ou jantar, acarretando um gasto maior com alimentação. Isso não vai acontecer durante uma viagem para encontrar novos fornecedores.

Ao ir para um destino no exterior, é recomendável contratar um serviço especializado para levar o seu colaborador de um lugar ao outro, sem que ele se perca ou desperdice tempo desnecessariamente. Em uma viagem no Brasil, é possível resolver a questão usando um aplicativo de mobilidade urbana, pois o risco é bem menor.

O preço dessas duas alternativas é totalmente diferente. Portanto, avalie o que funciona melhor em casa caso.

3. Defina quantos colaboradores vão participar

Em algumas empresas, as viagens corporativas são delegadas apenas a um certo grupo de funcionários. Em outras, existe mais flexibilidade para que vários colaboradores tenham a oportunidade de participar, desde que sua presença seja relevante — você não envia um analista contábil para fazer a prospecção de clientes, não é?

Além disso, você pode querer organizar viagens mais enxutas, ou não. Isso tem relação com o escopo, que vimos no item acima. Se o objetivo é participar de um evento, como uma feira, faz sentido enviar um grupo maior. Enquanto isso, para visitar um cliente, basta mandar um ou dois colaboradores.

Para que você possa elaborar o orçamento, essa informação faz toda a diferença. Afinal, os custos de uma viagem estão diretamente relacionados ao número de pessoas que vai participar. Cuide também para escolher a equipe mais adequadas para a viagem, de acordo com os objetivos da empresa e com os negócios que acontecerão no destino.

4. Padronize os roteiros

Depois de todo esse planejamento, o quarto passo é padronizar alguns elementos dos roteiros de viagens. Isso é importante por que, quanto mais as viagens forem previsíveis, mais fácil é determinar o valor que será necessário desembolsar com elas.

Imagine, por exemplo, que o roteiro determina que, nas viagens internacionais, o embarque será à noite. Com isso, é possível prever que o avião vai chegar ao destino no final da manhã, exatamente no horário certo para o check-in no hotel. Esse detalhe pode prevenir que a empresa tenha que pagar taxas por late check-in.

5. Pesquisar valores médios

Por último, mas não menos importante, é a hora de pesquisar quais são os valores médios para cada elemento da viagem — passagem de avião, diária de hotel, seguro de viagem, alimentação e assim por diante. Sem ter essa informação, você correrá o risco de criar um orçamento inviável.

Para fazer essa pesquisa, tome cuidado com os serviços de comparação de preços da internet — aqueles sites especializados em comparar valores para os viajantes. Eles prometem que você conseguirá ver os preços máximos e mínimos, sem ter que fazer ligações ou entrar em vários sites.

Porém, esses serviços não têm nenhum contato ou relação com as companhias aéreas e hotéis; portanto, não podem fazer nada em relação aos preços, e apenas reproduzem o que é divulgado em outros sites.

Tenha sempre em mente, também, que os preços variam muito ao longo do ano. Por isso, é importante trabalhar com valores conservadores. Não seja muito otimista! Senão, você pode descobrir que, duas semanas depois de criar seu orçamento, ele já não é mais relevante.

Viu só? Criar um orçamento de viagens não é um processo fácil. Mesmo resumindo-o a cinco passos, ainda existe muito trabalho a ser feito para chegar em um orçamento que vai, realmente, ajudar sua empresa a economizar. Além disso, o desenvolvimento das etapas que apresentamos aqui também exige um certo nível de experiência.

Por isso, uma boa opção é buscar o apoio de uma agência de viagens corporativas, especializada nesse trabalho. A terceirização é um caminho simples para conseguir os melhores resultados e otimizar o seu investimento.

Para completar, você, gestor, ainda ganha de volta o tempo que gastaria para cuidar de tudo sozinho, podendo dedicá-lo a atividades mais importantes.

Quer mais informações para a sua gestão de viagens corporativas? Então, aproveite para baixar gratuitamente o nosso e-book especial sobre o assunto!

SUA EMPRESA TAMBÉM PRECISA DE UMA GESTÃO INTELIGENTE DE VIAGENS?

Entre em contato para contratar nossos serviços

Fale Conosco
We are using cookies to give you the best experience. You can find out more about which cookies we are using or switch them off in privacy settings.
AcceptPrivacy Settings

GDPR

  • teste

teste